• Home  /
  • Capa   /
  • A saúde auditiva do motorista
A saúde auditiva do motorista surdez_800x459 Full view

A saúde auditiva do motorista

A palavra ruído significa barulho, som ou poluição sonora indesejável ou desagradável. Quando o ruído é intenso e a exposição a ele é continuada, em média 85 decibéis (dB) por oito horas por dia, podem ocorrer alterações na estrutura da orelha interna, podendo determinar a ocorrência da Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR). A PAIR é o agravo mais frequente à saúde dos trabalhadores, estando presente em diversos ramos de atividade, principalmente siderúrgicas, metalúrgicas, gráficas, têxteis, papel e papelão, entre outros. Podemos citar também como parte integrante do grupo de risco para a PAIR, os motoristas de caminhão.

O trabalhador portador de PAIR apresenta queixas, como:
⦁ Perda auditiva;
⦁Dificuldade de compreensão de fala, de discriminar as palavras;
⦁ Zumbido;
⦁ Intolerância a sons intensos;
⦁ Dor de cabeça;
⦁ Tontura;
⦁ Irritabilidade;
⦁ Ansiedade;
⦁ Problemas digestivos, entre outros.

Quando a exposição ao ruído é de forma súbita e muito intensa, pode ocorrer o trauma acústico, lesando temporária ou definitivamente, diversas estruturas do ouvido. Um exemplo neste caso é uma explosão de fogos de artifício. Outro tipo de alteração auditiva provocado pela exposição ao ruído intenso é a mudança transitória da audição, ou seja, o indivíduo sente sua audição diminuir e depois de um tempo retornar ao normal, após um período de afastamento do ruído.

A Norma Regulamentadora nº 15 (NR-15), da Portaria do Ministério do Trabalho nº 3.214, de 8 de junho de 1978 estabelece os Limites de Tolerância para ruído contínuo ou intermitente – Nível de ruído (dB)/Máxima exposição diária permissível:

tabela

Para saber qual intensidade exata que o ruído emite, existe um equipamento chamado DECIBELÍMETRO, que é um medidor dos níveis de pressão sonora e, consequentemente, da intensidade dos sons, ou seja, podemos através do DECIBELÍMETRO, saber exatamente quanto de ruído o caminhão emite com motor ligado e parado, ou em velocidade e, a partir daí constatar com a tabela, quantas horas o motorista pode dirigir sem afetar a sua audição.

TRATAMENTO

Não existe até o momento tratamento para PAIR.

O caminho está na PREVENÇÃO:
⦁ Verificar antes de mais nada as condições mecânicas do caminhão (quanto mais novo, mais moderno, menos ruído);
⦁ Estar sempre em dia com as manutenções;
⦁ Manter, de preferência, as janelas fechadas, utilizando ar condicionado diminuindo o nível de ruído sonoro do meio externo;
⦁ Acompanhar o nível de ruído X tempo de exposição diária permissível, observando a tabela já descrita;
⦁ Uso de EPI (Equipamento de Proteção Individual), os protetores auditivos que favorecem a diminuição do ruído, caso seja necessário. Neste caso, deve-se consultar um profissional especializado para realizar a melhor indicação.

Além da exposição ao ruído intenso e intermitente, a vibração que o motor realiza no corpo humano também colabora para o prejuízo da audição. Isso pode ser diminuído com as manutenções periódicas no veículo.

Para o bem da Saúde Auditiva, é fundamental realizar o acompanhamento da audição, por meio de avaliações audiológicas periódicas. Essas avaliações podem ser realizadas por um fonoaudiólogo em serviço conveniado da empresa onde o trabalhador trabalha ou na rede pública de saúde, na atenção secundária ou terciária, que dispuser do serviço.

Se houver necessidade de reabilitação, caso seja constatada perda auditiva, pode ser feita por meio de ações terapêuticas individuais e em grupo, a partir da análise cuidadosa da avaliação audiológica do trabalhador.

A indicação do uso de Aparelho Auditivo pode ser um procedimento necessário. Porém, a escolha do melhor aparelho e acompanhamento devem sempre ser realizados pelo fonoaudiólogo. Não se esqueça, saúde é coisa séria, procure sempre um serviço otorrinolaringológico e fonoaudiológico especializados.

Revista Brasil Cegonheiro
com informações do CEFAC

 

Written by Ricardo

Related Articles

Deixe seu comentário