Montagem do pneu na roda montagem_pneu_800x459_img Full view

Montagem do pneu na roda

Na matéria de hoje, abordaremos outra questão essencial quando o assunto é PNEU: a montagem na roda. Um assunto pouco abordado mas de extrema importância no segmento dos transportes.

Quando o pneu é montado em aro com medida, tipo ou tamanho incorreto é forçado a assumir posições anormais e fica mal assentado. A montagem inadequada gera vários problemas, tais como: fadiga prematura, deformação dos talões, perda da integridade da carcaça para futuras
recapagens e no caso do pneu “sem câmara”, perda de ar.

Por isso, antes de proceder a montagem de um conjunto pneu-aro é necessário verificar que se aro cumpri uma série de dimensões (larguras, comprimentos e raios) cujos valores estão especificados nos manuais de entidades normatizadoras como a ALAPA Associação Latino-Americana de Pneus e Aros.

Deve-se ter cuidado especial de não tentar recuperar aros ou anéis, recorrendo à solda. A solda é um procedimento simples, porém de alto risco quando aplicada em peças submetidas a esforços, já que ocasiona tensões residuais, podendo provocar ruptura. Antes de proceder a montagem de um pneu, o aro deve estar limpo, especialmente na área onde os talões se assentam.

As partículas de óxido, terra ou qualquer outro elemento devem ser retirados com uma escova de aço e todo o aro deve ser pintado com tinta anti-corrosiva.

Tanto a montagem como a desmontagem de conjuntos são operações críticas e perigosas e devem ser efetuadas por profissionais qualificados e treinados.

Na próxima edição apresentaremos os procedimentos recomendados para uma correta montagem e desmontagem do pneu.

Ao presenciar a montagem do seu pneu “tipo com câmara” observe que sejam tomadas as seguintes precauções:
• que a roda e o aro não tenham trincas ou rachaduras e que toda sujeira ou ferrugem sejam removidas para permitir um assentamento perfeito dos talões do pneu;

• que o interior do pneu esteja seco e sem qualquer objeto estranho por menor que seja;

• que a câmara de ar e o protetor sejam novos e de medida compatível com a do pneu;

• que a câmara introduzida no pneu receba uma inflação suficiente para acomodar-se internamente evitando possíveis dobras;

• que o aro, os talões e o protetor sejam lubrificados com lubrificante próprio, à base vegetal e inibidor de corrosão, evitando que escorra entre o pneu e a câmara;

• que o aro e anéis sejam compatíveis e se possível do mesmo fabricante e série;

• que o protetor esteja centralizado entre os talões do pneu;

• que seja observada a centralização da ranhura do aro em relação à haste da válvula de tal forma que evite seu contato;

• que seja feita uma primeira inflação para que os talões e a câmara se acomodem perfeitamente, desinflando-se logo a seguir;

• que toda operação de inflação deva ser feita com o pneu dentro de um dispositivo de segurança (“gaiola”);

• que se verifique que o pneu fique concêntrico com a borda do aro com base em sua raia circunferencial;

• que o pneu seja finalmente inflado à pressão recomendada, de acordo com a incidência do peso sobre o eixo;

• que toda esta operação seja feita por alguém credenciado para tal e que você cegonheiro sempre tenha uma EXCELENTE VIAGEM!

Written by Ricardo

Deixe seu comentário