• Home  /
  • News   /
  • Setor automotivo puxa produção industrial
Setor automotivo puxa produção industrial - Foto: divulgação Full view

Setor automotivo puxa produção industrial

O segmento automobilístico foi o que mais contribuiu para o aumento da produção industrial brasileira em maio, afetando positivamente os números de São Paulo, Minas Gerais, Paraná e da região Nordeste, na comparação com igual mês de 2016. Os dados da Pesquisa Industrial mensal Regional indicam ainda o Rio de Janeiro como o Estado com melhor resultado acumulado no ano entre 15 locais pesquisados pelo IBGE.

Entre janeiro e maio, a produção industrial fluminense acumula expansão de 4,6% em termos anuais, contra um incremento nacional de 0,5%, graças ao bom desempenho dos setores extrativo e metalúrgico e das montadoras.

A recuperação fluminense, no entanto, ainda é tênue – a indústria do Rio ainda está muito próxima do ponto mais baixo na série histórica. Apenas 4,6 pontos percentuais separam a produção industrial do Rio em maio do pior resultado, registrado em fevereiro de 2016.

“O desempenho da produção do Rio foi puxado pelo setor externo. O mercado interno no Rio ainda está muito limitado pelo baixo poder de compra, reflexo do alto desemprego e do não pagamento do funcionalismo público”, explica Guilherme Mercês, economista-chefe da Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan). Na comparação mês contra mês anterior, houve retração da indústria em maio (-1,6%) e abril (-1,8%).

Em nível nacional, a produção industrial cresceu em 10 dos 14 locais pesquisados em maio, na comparação com abril, na série com ajuste sazonal, com destaque para Ceará (5,9%) e Bahia (3,6%). Apesar dos resultados positivos frente ao mês anterior, em ambos os casos a base de comparação se encontra muito deprimida, alerta Rodrigo Lobo, economista da coordenação de indústria do IBGE.

Entre abril e maio, na média, a produção da indústria brasileira aumentou 0,8%. Na comparação com maio do ano passado, houve expansão de 4%. “O crescimento se deu de forma bastante disseminada, por diversos locais”, diz Lobo. “No caso da indústria automobilística, o aumento da produção veio para atender ao mercado externo. No mercado interno, isso acontece em menor medida, como forma de substituir importações.”

O incremento na fabricação de produtos alimentícios foi o segundo fator mais importante para explicar a alta de 4% na produção da indústria brasileira em maio, ante igual mês do ano passado.

Os produtos alimentícios – aliados à montagem de veículos automotores – ajudam a explicar o crescimento de 4,3% da produção industrial paulista em maio, na comparação anual, o melhor resultado desde setembro de 2013. Em São Paulo, foi particularmente importante na categoria de alimentos o aumento na fabricação de produtos derivados da cana.

Fonte : Valor Econômico/Rodrigo Carro e Alessandra Saraiva

Written by Ricardo

Deixe seu comentário